Alto Desempenho em Momentos de Crise

Por Paulo Alvarenga

Sim, estamos passando por um momento crítico, sem saber ao certo o que acontecerá no campo político e, consequentemente, econômico. Alguns pequenos empresários fecharam as portas, a taxa de desemprego aumentou, a inflação segue subindo e em muitos discursos e lugares o clima de insegurança está dominando. Porém, nesse mesmo cenário, existem pessoas que nadam contra a maré. Abriram os olhos para o novo momento do país e descobriram uma oportunidade de mudar, desenvolverem-se, tornarem-se melhores. Nesse mesmo cenário, surgiram novos protagonistas.

São nos momentos de crise que reconhecemos claramente dois tipos de profissionais: os protagonistas e as vítimas. Ao ter que enfrentar uma adversidade que está fora do nosso alcance, fora do nosso controle, podemos agir de duas formas. Podemos culpar o ambiente e passar o dia reclamando, nos tornando mais um na multidão. Ou podemos crescer. Entender como nesse novo cenário você pode ser melhor, fazer melhor.

Compreender como aumentar a performance e nos tornarmos mais eficazes, na vida profissional e pessoal, utilizando esse cenário de crise e o estresse gerado ao nosso favor, é hoje mais do que uma necessidade. É a habilidade que faz a diferença no futuro de qualquer ser humano.

Utilizando uma metodologia que tem por objetivo macro o gerenciamento de energia, ao invés do tempo, podemos superar todos os desafios que esse cenário de grandes mudanças e incertezas traz. Nosso corpo atua com quatro dimensões de energia: física, mental, emocional e espiritual. Saber como recarregar cada uma delas e mantê-las em equilíbrio é o ponto chave para a alta performance.


Buscando o equilíbrio rumo à alta performance

Assim como acontece com um atleta de alto rendimento, o bom profissional deve buscar pela alta performance a todo o momento. Isso significa buscar o estresse, buscar sair da zona de conforto, com o objetivo de crescer. Porém, para conseguir usar as adversidades do momento a nosso favor é preciso criar rotinas e rituais claros para alcançar a alta performance de forma sustentável.

Para isso, é necessário conscientizar-se de que um cenário de crise pode gerar um estresse positivo. Talvez até seja o que faltava para você desenvolver plenamente alguma competência específica em sua liderança, como o controle emocional ou a capacidade de tomar decisões mais assertivas em momentos de pressão.

O autoconhecimento é o passo inicial para qualquer mudança que queira na vida. Após identificar quais são seus pontos fortes e fracos, é possível traçar quais serão os rituais e rotina diária que fará você chegar onde deseja, de forma equilibrada e saudável.

Compreender a função distinta de cada uma das quatro fontes de energia e como elas se refletem no dia a dia profissional, é outro fator fundamental nesse processo. A capacidade física se reflete na habilidade de gastar e recuperar a energia no nível físico e é definida em quantidade. Já a capacidade emocional está relacionada com a habilidade de gastar e recuperar a energia no nível emocional e é determinada em termos de qualidade. A capacidade mental se apresenta na habilidade de gastar e recuperar a eficácia no nível mental e é caracterizada em termos de foco. Por fim, a capacidade espiritual se reflete na habilidade de gastar e recuperar a energia no nível espiritual e é mensurada em termos de força.

Quando buscamos o envolvimento total, devemos ter em mente que a fonte de energia mais importante é a física e a mais significativa é a espiritual. Para aproveitar o melhor delas, é preciso ter um plano bem definido para a continuação da carreira. Quatro etapas simples para buscar esse envolvimento são:

1. Pense em um propósito, uma missão.
2. Estabeleça a sua situação atual, especificando onde é gasta atualmente a sua energia, descrevendo a sua ‘velha história’, que é a descrição específica de como você funciona.
3. Descreva a sua ‘nova história’, especificando os benefícios que você terá com os novos rituais.
4. Desenvolva e coloque em prática rituais positivos que a sustentem.

Seguindo essas etapas, aos poucos e com pequenas mudanças de hábitos, devemos gerar mudanças significativas em nossas vidas. Essa pode ser a diferença entre você ser um profissional que lamenta ou que cresce na crise. Qual será a sua escolha?